quinta-feira, 19 de julho de 2012

Inflamação - A Depressão pode começar com ela



Estudos recentes têm mostrado que uma  inflamação pode estar envolvida na patogénese da depressão. De fato, algumas pesquisas têm demonstrado que a depressão está freqüentemente associada com inflamações gastrointestinais e doenças auto-imunes, bem como com outras doenças em que a inflamação crônica de baixo grau é um fator que contribui significativamente.
É possível que a depressão possa ser uma manifestação neuropsiquiátrica de uma síndrome inflamatória crónica. E a principal causa dessa inflamação pode ser a disfunção do "eixo do intestino-cérebro".
De acordo com um estudo reproduzido no site Informações Med Verde:
"... [A] n crescente número de estudos clínicos têm demonstrado que o tratamento de inflamações gastrointestinais com probióticos, vitaminas B, D e ácidos graxos ômega 3, através da atenuação estímulo pró-inflamatório para o cérebro, também pode melhorar os sintomas de depressão e qualidade de vida. Todos estes achados justificam a suposição de que o tratamento de inflamações gastrointestinais podem melhorar a eficácia das modalidades de tratamento atualmente utilizados de depressão e doenças relacionadas. "
Dr. Mercola
A noção de que a inflamação em seu intestino poderia estar ligada aos seus sintomas de depressão pode soar exagerado, mas na verdade faz todo o sentido quando você entende a conexão entre  seu cérebro e seu trato digestivo.
Talvez o exemplo mais simples seja aquele  um frio na barriga quando você está nervoso, assim, seus pensamentos, o cérebro ou seja, estão enviando sintomas para seu intestino. Mas uma outra rota de conexão é via de baixo grau de inflamação, que é um fator importante que contribui para inúmeras doenças que ocorrem frequentemente ao lado de depressão, e pode, de fato, ser a manifestação de sintomas depressivos seus.

Depressão é o resultado de uma inflamação crônica?

Uma revisão recente indicou vários mecanismos pelos quais a inflamação gastrointestinal pode desempenhar um papel crítico no desenvolvimento de depressão.
Entre eles:
  1. A depressão é frequentemente encontrada ao lado de inflamações gastrointestinais e doenças auto-imunes, bem como com as doenças cardiovasculares, doenças neurodegenerativas, diabetes tipo 2 e também o cancro, em que a inflamação de baixo grau crónica contribui significativamente. Assim, os pesquisadores sugerem que "a depressão pode ser uma manifestação neuropsiquiátrica de uma síndrome inflamatória crônica."
  2. A pesquisa sugere que a principal causa da inflamação pode ser disfunção do seu intestino é literalmente o seu segundo cérebro "eixo do intestino-cérebro." - Criado a partir do tecido idêntico ao  cérebro durante a gestação -  contém grandes quantidades do neurotransmissor serotonina, que está associado com o controle do humor. É importante entender que as bactérias do seu intestino são parte ativa e integrada de seu corpo e, como tal, são fortemente dependentes da sua dieta e vulnerável para ao seu estilo de vida. Se você consumir uma grande quantidade de alimentos processados ​​e bebidas açucaradas, por exemplo, as bactérias do intestino são as mais agredidas vai ser  porque os alimentos processados ​​em geral destroem  a microflora saudável e também açúcares de todos os tipos alimentam as bactérias ruins e leveduras, bem como promovendo uma sistêmica inflamação.
  3. Um número crescente de estudos clínicos têm demonstrado que o tratamento da inflamação gastrointestinal com probióticos, vitamina B, vitamina D e ômega-3 gorduras também pode melhorar os sintomas de depressão e qualidade de vida, atenuando estímulo pró-inflamatório para o seu cérebro.
O que isso tudo vem comprovar  é que a inflamação crônica em um corpo, perturba o funcionamento normal  de muitos organismos vivos, e pode causar estragos em seu cérebro. Mas parece que a inflamação pode ser mais do que apenas mais um fator de risco para depressão; pode de fato ser,  o fator de risco que fundamenta todos os outros. Embora essa avaliação refira-se  a depressão pós-parto, a resposta inflamatória é a mesma no seu impacto em todas as formas de depressão.
Publicado no Jornal Internacional de Aleitamento Materno , pesquisadores afirmaram:
"O velho paradigma descrito sobre  inflamação como simplesmente um dos muitos fatores de risco para a depressão confronta com o  novo paradigma que é baseado na pesquisa mais recente, onde  a inflamação aumenta física e psicológica com estresse. Estes estudos recentes constituem uma importante mudança no paradigma da depressão:.. Inflamação  não é simplesmente um fator de risco, é o fator de risco maior que todos os outros.
Além disso, a inflamação explica por que fatores de risco psicossociais, comportamentais e físicos aumentam o risco de depressão. Isto é verdade para a depressão em geral e para a depressão pós-parto, em particular.
Mulheres no periodo puerperal são especialmente vulneráveis ​​a estes efeitos, porque os seus níveis de citocinas pró-inflamatórias aumentam significativamente durante o último trimestre da gravidez - nesse momento o risco da depressão aumenta.   Experiências comuns da nova maternidade, tais como distúrbios do sono, pós-parto dor, e passado ou atual trauma psicológico, atuam como fatores de estresse que fazem níveis de citocinas pró-inflamatórias subirem "

  O açúcar é também um fator importante na depressão

Há um grande livro sobre este assunto, Sugar Blues , escrito por William Duffy há mais de 35 anos atrás, que investiga a ligação de açúcar com depressão, muito bem detalhado. O argumento central que Duffy faz no livro é que o açúcar é extremamente prejudicial a saude; é uma  droga que vicia e que simplesmente faz diferença negativa na dieta - a eliminação do açúcar, tanto quanto possível  pode ter um impacto profundamente benéfico sobre a sua saúde mental. Ele ainda defendeu a eliminação de açúcar da dieta do doente mental, afirmando que poderia ser um tratamento altamente eficaz.
Tornou-se cada vez mais claro que o motivo pelo qual o açúcar é muito prejudicial para sua saúde mental é porque o consumo desse nutriente desencadeia uma cascata de reações químicas em seu corpo que promovem a inflamação crônica. Além disso, o excesso de açúcar e frutose irá distorcer a relaçãodas boas e das más bactérias no seu organismo, o que desempenha  um papel fundamental em sua saúde mental . O açucar atua como  fertilizante / combustível para bactérias patogênicas, fungos  que negativamente inibem as bactérias benéficas no seu intestino.
Por exemplo, pesquisa recente mostrou que os probióticos Lactobacillus rhamnosus foi encontrado para ter um efeito significativo sobre os níveis de GABA em certas regiões do cérebro e baixou a corticosterona hormônio induzido pelo estresse, resultando em redução comportamento de ansiedade e depressão relacionadas . Mas se você consumir uma grande quantidade de alimentos processados ​​e bebidas açucaradas (que são normalmente frutose), as bactérias do intestino  provavelmente irão ser severamente comprometidas e assim é a sua saúde mental! Assim, a resposta dietética para o tratamento da depressão é limitar severamente açúcares, especialmente frutose , bem como grãos.
É importante notar que o açúcar também pode levar à liberação excessiva de insulina que pode levar à hipoglicemia, que, por sua vez, faz com que o seu cérebro produza glutamato em níveis capazes ca de usar agitação, depressão, raiva, ansiedade ataques, pânico e um aumento no risco de suicídio .
A medida deve ser radical mesmo!  Reduzir a ingestão de açúcar, especialmente a frutose , a menos de 25 gramas por dia será uma das intervenções mais poderosas para lidar com a depressão, bem como combater a inflamação crônica e apoiar bactérias intestinais saudáveis. Consumir mais de 25 gramas por dia de frutose claramente empurram a sua bioquímica cerebral, e sua saúde geral, na direção errada.

Aliviar a inflamação gastrointestinal pode aliviar os seus sintomas depressivos

Discutimos a importância de limitar o açúcar e frutose, que é uma das principais formas para tratar a inflamação gastrointestinal, acima. Você também vai querer ter certeza que seu intestino está regularmente "adubado", com as boas bactérias ou probióticos, que são a fundação de um trato gastrointestinal saudável.
Minhas recomendações para otimizar suas bactérias intestinais são as seguintes:
  • Os alimentos fermentados são , de longe, a melhor rota para a saúde digestiva ótima, enquanto você come os feitos na forma tradicional. Escolhas saudáveis ​​incluem lassi (uma bebida de iogurte indiano, tradicionalmente apreciado antes do jantar), fermentado cru (sem pausteurização)de animais  alimentados com capim-orgânico como kefir , várias fermentações em conserva de repolho, nabo, berinjela, pepino, cebola, abóbora e cenoura, e natto (fermentado de soja). Se você come regularmente alimentos fermentados como estes que, novamente, não foram pasteurizados (pasteurização mata os probióticos naturais), as suas bactérias intestinais saudáveis ​​irão prosperar.
  • Suplemento probiótico. Embora eu não seja um dos maiores defensores do uso de suplementos muitos (como eu acredito que a maioria de seus nutrientes devem vir de alimentos), os probióticos são definitivamente uma exceção. Eu usei muitas marcas diferentes ao longo dos últimos 15 anos e há muitos bons lá fora.
  • Se você não comer alimentos fermentados, tomar um suplemento probiótico de alta qualidade certamente faz muito sentido, considerando o quão importante eles são para otimizar sua saúde mental.
Os probióticos têm um efeito direto na química do cérebro, transmitindo o humor e o comportamento de regulação de sinais para o cérebro através do nervo vago, que é outra razão pela qual a sua saúde intestinal pode ter uma influência tão profunda sobre a sua saúde mental, e vice-versa. Dois outros fatores importantes para tratar a inflamação gastrointestinal e também ajudar a aliviar a depressão são:

Nenhum comentário:

Eco vilas um conceito atual

Quanta maldade!

Mães - Anjos de Deus!


Mães Morrem Quando Querem
Por Alexandre Pelegi

Eu tinha 7 anos quando matei minha mãe pela primeira vez. Eu não a queria junto a mim quando chegasse à escola em meu 1º dia de aula. Eu me achava forte o suficiente para enfrentar os desafios que a nova vida iria me trazer. Poucas semanas depois descobri aliviado que ela ainda estava lá, pronta para me defender não somente daqueles garotos brutamontes que me ameaçavam, como das dificuldades intransponíveis da tabuada.
Quando fiz 14 anos eu a matei novamente. Não a queria me impondo regras ou limites, nem que me impedisse de viver a plenitude dos vôos juvenis. Mas logo no primeiro porre eu felizmente a descobri rediviva – foi quando ela não só me curou da ressaca, como impediu que eu levasse uma vergonhosa surra de meu pai.
Aos 18 anos achei que mataria minha mãe definitivamente, sem chances para ressurreição. Entrara na faculdade, iria morar em república, faria política estudantil, atividades em que a presença materna não cabia em nenhuma hipótese. Ledo engano: quando me descobri confuso sobre qual rumo seguir voltei à casa materna, único espaço possível de guarida e compreensão.
Aos 23 anos me dei conta de que a morte materna era possível, apenas requeria lentidão… Foi quando me casei, finquei bandeira de independência e segui viagem. Mas bastou nascer a primeira filha para descobrir que o bicho "mãe" se transformara num espécime ainda mais vigoroso chamado "avó". Para quem ainda não viveu a experiência, avó é mãe em dose dupla…
Apesar de tudo continuei acreditando na tese da morte lenta e demorada, e aos poucos fui me sentindo mais distante e autônomo, mesmo que a intervalos regulares ela reaparecesse em minha vida desempenhando papéis importantes e únicos, papéis que somente ela poderia protagonizar… Mas o final dessa história, ao contrário do que eu sempre imaginei, foi ela quem definiu: quando menos esperava, ela decidiu morrer. Assim, sem mais, nem menos, sem pedir licença ou permissão, sem data marcada ou ocasião para despedida.
Ela simplesmente se foi, deixando a lição que mães são para sempre. Ao contrário do que sempre imaginei, são elas que decidem o quanto esta eternidade pode durar em vida, e o quanto fica relegado para o etéreo terreno da saudade…
"Escrevi essa crônica em 11 de março de 2008, um dia após a morte de Ignês Pelegi de Abreu, minha mãe. Naquela época eu não tive condições de ler o texto no ar, no que fui socorrido pelo meu amigo Irineu Toledo. Hoje, um ano após sua morte, repito essa crônica em homenagem não só a ela, como a todas as mães que habitam o céu."

Recebi via e-mail. Parabéns a todas as Mães!

Me apaixonei por ecologia...

Loading...

Tricotando a vida

"A vida é como um tricô.Deus te dá a lã e as agulhasE te diz: Tricota o melhor que puder, um ponto de cada vez,Cada ponto é um dia na agulha do tempo.Depois de 12 carreiras de 30 ou 31 pontos,Terás 365 pontos,Em dez anos, cerca de 3650 pontos...Alguns são pelo direito, outros pelo avesso;;;Há pontos que se perdem...Mas que podemos recuperar...A lã que o bom Deus nos dáPara tricotar nossa existênciaÉ de todas as cores:Rosa como nossas alegrias, negra como nossos sofrimentos,Cinza como nossas dúvidas, verde como nossas esperanças,Vermelha como nossos amores, azul como nossos desejos,Branca como a fé que temos nele.Quantos pontos caberão no tricô de tua vida?Só Deus é quem sabe!
“Gastronomia é a arte de usar a comida para criar felicidade”
Krafft-EbbingMargarida Nogueira**

Adoro Cachorro!

Aos nossos filhos: aqueles a quem muito amamos

A filha dizia à Mãe como tudo ia errado. Ela não se saíra bem na prova de Matemática, ...O namorado resolveu terminar com ela e a sua melhor amiga estava de mudança para outra cidade.Em horas de amargura, a mãe sabia que poderia agradar a filha preparando-lhe um bolo. Naquele momento não foi diferente. Abraçou a filha e levou-a à cozinha, conseguindo arrancar da moça um sorriso sincero.Logo que a mãe separou os utensílios e ingredientes que usaria e os colocou na mesa, perguntou à filha:- Querida, quer um pedaço de bolo?- Mas já, mamãe? É claro que quero. Seus bolos são deliciosos...-Então está bem, respondeu a mãe. Tome um pouco desse óleo de cozinha!Assustada, a moça respondeu:- Credo, mãe! Que tal então comer uns ovos crus, filha?- Que nojo, Mãe!- Quer então um pouquinho de Farinha de Trigo ou Bicarbonato de Sódio?- Mãe, isso não presta! A Mãe então respondeu:- É verdade, todas essas coisas parecem ruins sozinhas, mas quando as colocamos juntas, na medida certa...Elas fazem um bolo delicioso!Deus trabalha do mesmo jeito. Às vezes a gente se pergunta por que Ele quis que nós passássemos por momentos difíceis, mas Deus sabeque quando Ele põe todas essas coisas na ordem exata, elas sempre nos farão bem.A gente só precisa confiar n'Ele e todas essas coisas ruins se tornarão algo fantástico! Deus é louco por você. Ele te manda flores em todas asPrimaveras...O nascer o Sol todas as manhãs...E sempre que você quiser conversar, Ele vai te ouvir!Ele pode viver em qualquer lugar do universo, e Ele escolheu o seu coração!
Encontrei aqui: http://sintonia106fm.blogspot.com/2008/03/lio-de-perseverana.html